Drodas Ilícitas

Segundo relatório da  Organização das Nações Unidas (ONU) de 2014, cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, o que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas, usa drogas ilícitas. De acordo com o estudo, um em cada seis usuários tem acesso ou recebe algum tipo de tratamento para dependência a cada ano. 

Existem pelo menos três tipos básicos de ação das drogas no organismo: estimulantes, como cocaína e crack; depressoras, como álcool e medicamentos para dormir; e perturbadora, como LSD; É importante esclarecer que a dependência das drogas é tratável. Uma pessoa pode deixar o vício e voltar a ter uma vida normal a partir do auxílio médico e familiar.

 

Drogas no organismo

  • Anfetamina - estimula o sistema nervoso central e provoca aumento das capacidades física e psíquica. Causa dilatação da pupila, aumento da pressão sanguínea e número de batimentos cardíacos.
     

  • Barbitúrico - provoca falta de coordenação motora, grande redução da pressão sanguínea, vertigens, redução da urina, espasmo da laringe e crise de soluço. Age no sentido de deprimir diversas áreas do cérebro, causando sonolência, dificuldades de concentração, raciocínio prejudicado, relaxamento e sensação de calma.
     

  • Cocaína - sensação de euforia nos primeiros minutos, seguida de disforia - aumento das percepções sensoriais e diminuição do sono e apetite. Prejudica o funcionamento do cérebro como um todo, principalmente o lobo frontal - região responsável pelo controle da impulsividade e pelo senso crítico. A droga também provoca contração das artérias, especialmente as cerebrais.
     

  • Clorofórmio - provoca irritação na pele, olhos e trato respiratório. Atinge o sistema nervoso central, rins, sistema cardiovascular e fígado. Pode causar câncer dependendo do nível e da duração da exposição.
     

  • Crack - o efeito começa segundos após a primeira aspiração. Além de alterações psicológicas, pode causar problemas cardíacos, circulatórios e respiratórios. Aumenta a concentração de dois neurotransmissores: dopamina e noradrenalina - o batimento do coração aumenta, a dor some e causa sensação de prazer, euforia, ansiedade e agressividade. 
     

  • Ecstasy (ou MDMA) - é um tipo de metanfetamina - substância estimulante do sistema nervoso central. Causa euforia, gerada pela descarga de serotonina - neurotransmissor ligado ao prazer. Acelera os batimentos cardíacos, eleva a temperatura corporal e desidrata o organismo. Passado o efeito da droga, geralmente causa depressão.
     

  • Heroína - provoca delírios e sensação de torpor no dependente. O uso da droga interrompe a produção da endorfina - substância que o corpo produz para controlar a dor e proporcionar prazer. Durante a crise de abstinência, provoca dores fortes e aumento de frequência cardíaca - risco de um colapso.
     

  • LSD (abreviação de dietilamina do ácido lisérgico) - cai no sangue depois de ser absorvida pelo estômago e chega ao sistema nervoso central, causando alucinações e distorção das imagens. Os riscos ao organismo vão de taquicardia e surtos psicóticos à degeneração de células cerebrais e convulsões.
     

  • Maconha - diminui a coordenação motora, altera a memória, a concentração e pode provocar crises de ansiedade e depressão. Aumenta o risco de infecções e inflamações nas vias respiratórias e contém substâncias cancerígenas.

  • facebook.png
  • insta.png
  • youtube.png
  • twitter.png
  • podcast.png